E o Flamengo grita novamente: É... campeão!

Em uma noite de horrores, para Wilian Arão, o Flamengo mostrou o outro lado do grupo, superação, e confirmou que seu treinador tem o time na mão e sabe, como poucos, comandar um grupo a vitória e a títulos. 

O Flamengo desta noite, no Maracanã, foi aquilo que a torcida rubro-negra tem como lema: Raça, amor e paixão. Superou a saída de Arão, expulso justamente aos 24 minutos do primeiro tempo, soube controlar o placar favorável, Gabigol marcou antes da expulsão, e foi para o intervalo com o placar que queria e sabendo que teria mais quarenta e cinco minutos de tensão. 

E aí é que entra quem sabe, quem comanda com autoridade e competência, apesar de alguns ainda acreditem que seja "medíocre", e no intervalo do jogo, sem mudar uma única peça, apenas a entrada, aos 26 minutos, de Tiago Maia na vaga de Pedro para recompor o meio, o Flamengo foi outro time, soube marcar por pressão, evitando as saídas de bola do Independente del Valle, soube administrar a posse de bola e, principalmente, soube jogar com um a menos por quase uma hora de jogo. 

Há de se enaltecer Gabriel Barbosa, hoje não só Gabigol, mas o nome do jogo ao lado de Everton Ribeiro, foram estes, ao lado de Gérson, autor de dois dos três gols da vitória flamenguistas, os nomes principais de mais um título para o CR do Flamengo na temporada. O treinador, mais uma vez valorizando o trabalho de Jorge Jesus, lançou Vitinho para pressionar as saídas de bola, no lugar de Arrascaeta, por volta dos 35 do segundo tempo, e o atacante se transformou em peça chave do domínio rubro-negro na partida. 

O Flamengo hoje é um time que sabe o que quer e o que precisa fazer para superar obstáculos e a fase de grupos, da Libertadores, já definida, levará o clube a duas viagens ao Equador, o Barcelona, de Guayaquil venceu o Cerro na terceira fase da Seletiva, e será o quarto clube do Grupo A ao lado deste mesmo Independente Del Valle e do Júnior, de Barranquilla/Colômbia. 

Que venham outros títulos e outros recordes de público no Maracanã, que hoje recebeu lotação máxima e a torcida fez mais uma festa nas cadeiras e arquibancadas do antigo maior do mundo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Vitinho brilha no empate com o Vasco em Volta Redonda

Mais um adeus: Ricardo "Gagão" Padilha já é saudade.

Kátia é saudade eterna, adeus, amiga.