Na fila do pão = Poupar ou não poupar, eis a questão

Mais um papo da fila do pão, hoje pela manhã, que trago para o blog porque achei interessante falar sobre isto. Otto, com dois tês, novo nas discussões matinais, coloca um tema em debate enquanto o pão mais moreno não sai do forno, e eu concordei plenamente com o rapaz, universitário gaúcho da Uenf, e gremista de coração. 

- O senhor, falando para mim, não acha que o Grêmio, se não tivesse poupado vários jogadores para jogarem a Libertadores, teria grande chance de brigar pelo título, superando Palmeiras e Santos?

E aí mexeu comigo, eu também acredito que sim, como também acredito que o Furacão também estaria na briga, mas há de ressaltar que Felipão também jogou com o Palmeiras todo mudado em várias partidas e Mano também. Assim, Jorge Jesus e o Flamengo, que não usaram mistos ou alternativos, durante o campeonato e foram para a "briga" com o que há de melhor, o resultado é este que vemos agora, 16 pontos de diferença e muito arrependimento para Grêmio e Palmeiras que não ganharam nada. 

E o assunto rendeu depois que coloquei minha resposta, alguns acham até que o Flamengo não venceria o Brasileirão se estes times não poupassem durante o percurso,mas aí é outra história já que no confronto direto deu Flamengo, com sobras, contra todos eles e com titulares e, no caso do Grêmio, o segundo jogo teve reservas do Flamengo em campo. 

Mas é uma discussão que entra na rotina das mesas redondas das tevês, poupar ou não poupar? Os técnicos brasileiros já pensam diferente e acreditam que Jesus, o técnico, esteja certo em todos os sentidos e já assistimos um futebol mais decentes, exceto os que são medíocres por natureza, nos jogos das últimas rodadas.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Vitinho brilha no empate com o Vasco em Volta Redonda

Mais um adeus: Ricardo "Gagão" Padilha já é saudade.

Kátia é saudade eterna, adeus, amiga.