Opinião - O fundo do poço

Abro os jornais e não leio nada interessante, a cultura e a arte foram passadas para trás e vencidas pelo roubo, pela cretinice dos políticos e a violência dos bandidos nas ruas das cidades, o esporte hoje já não é seguro e o espetáculo oferecido pelos times que disputam os campeonatos por todo este antigo país do futebol já não nos agrada mais. O que fazer? 

Diretores com medo dos torcedores, que eles mesmos deram asas para crescerem e conquistar as arquibancadas, diretores envolvidos em falcatruas e em escândalos de corrupção, torcedores se agredindo em cada jogo e rivalidade esportiva que se bandeou para inimizade entre torcedores travestidos de bandidos. 

Que país é este? Será que hoje estamos sendo colocados a prova para sabermos que Deus nos abençoou com um país sem furacões, tornados e um solo não propício a terremotos, como naquela velha piada, que aprendi quando ainda era criança pequena, lá em Miracema, que em troca teríamos um povo que provocaria tempestades e terremotos de fazer corar qualquer ser honesto deste país?

Ligo a televisão para sabe notícias do meu time e vejo o presidente falando de crise política, ligo a televisão para saber das coisas do futebol e vejo presidente falando da reunião com torcedores para tentar acalmar o clima tenso que vive devido a derrotas, ligo a televisão e vejo presidente defendendo a presença da torcida em seus jogos quando ele sabe que esta torcida está realmente interessada em outras coisas que não é assistir futebol. 

Nossa política e nosso esporte chegaram ao fundo do poço e é preciso, urgentemente, fazer uma reciclagem e mudar, em todos os sentidos, o andamento destes segmentos mais importantes do país, ou seja, se na política não temos em quem confiar o esporte seguiu regiamente estes passos e está nadando, correndo, chutando, sacando e encestando de maneira indecente e corrupta, não há espaço para gente que realmente quer fazer o bem para o país e para o esporte neste torrão de bandalha e bandidos. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Vitinho brilha no empate com o Vasco em Volta Redonda

Mais um adeus: Ricardo "Gagão" Padilha já é saudade.

Kátia é saudade eterna, adeus, amiga.